30 de set de 2012

Uso de álcool e outras drogas aumenta entre as causas de acolhimento infantojuvenil no Rio


Akemi Nitahara
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – Antes ocupando a vigésima posição, o uso abusivo de álcool e drogas subiu para o quinto maior motivo que leva crianças e adolescentes ao programa de acolhimento no estado do Rio de Janeiro. Passou de 0,5% para quase 7% dos casos.
O dado está no nono Censo do Módulo Criança e Adolescente (MCA) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), apresentado no seminário sobre abandono e convivência familiar, na sexta-feira (28). O MCA foi implantado em 2007, para integrar toda a rede envolvida na medida protetiva do acolhimento.
Negligência continua sendo o maior motivo que leva a criança ou adolescente aos abrigos, respondendo por 23,7% dos casos. Em segundo vem abandono, com 13,27%, seguido de situação de rua, com 8,97%, e abuso físico ou psicológico, com 7,26%. Crianças e adolescentes que fazem uso abusivo de álcool e drogas são 6,74% dos casos, enquanto pais ou responsáveis dependentes químicos ou alcoolistas são o motivo de 6,49% dos acolhimentos.
A gestora do MCA, promotora de Justiça Gabriela Brandt, destaca que o censo é importante para dar visibilidade ao trabalho desenvolvido. “Ele conferiu o resultado do trabalho de toda a rede e a possibilidade de se extrair os dados, verificando diminuição do tempo de acolhimento, aumento do número de ações propostas, perfil de crianças e adolescentes aptos à adoção, então o impacto é dar visibilidade para todas essas crianças que estão nos abrigos e que cresciam de forma silenciosa”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário